fbpx

Blog

Fique por dentro das notícias e novidades da LogLife.

Realizar transporte de material biológico pelos Correios é seguro?

Realizar transporte de material biológico pelos Correios é seguro?

Uma das principais dúvidas dos laboratórios e clínicas de análise é sobre o transporte de amostras biológicas pelos Correios.

Neste post, separamos os principais pontos a serem considerados antes de realizar esse tipo de transporte:

Antes de mais nada, vale a gente esclarecer como era feito esse transporte até 2014, antes da publicação da RDC 20.

Antes da RDC 20

Anteriormente, os laboratórios usavam muito o serviço dos Correios para o transporte de material biológico. Principalmente até 2014, quando a RDC 20 foi publicada e mudou totalmente o cenário do transporte de material biológico no Brasil.

Um dos principais motivos para o grande uso dos Correios até então era que havia poucas empresas especializadas no transporte de material biológico, então não restava muita opção para o envio de amostras.

Portanto, atualmente, desde a criação da RDC 20, esse cenário mudou bastante.

Quais tipos de materiais biológicos podem ser transportados pelos correios?

Antes de tudo, devemos esclarecer que existem diferentes subdivisões de materiais biológicos na logística que irão variar de acordo com a sua periculosidade. Nesse sentido, iremos esclarecer que tipo de materiais biológicos possuem autorização para serem transportados pelos correios.

Categoria A

Primeiramente, os materiais com classificação de risco Categoria A estão, na quase totalidade, proibidos de serem transportados pelos Correios.

O que são materiais de Categoria A? Segundo a Anvisa, são substâncias infecciosas que, ao haver exposição a mesma, possa originar uma infecção que resulte em uma incapacidade permanente e/ou perigo de vida para seres humanos ou animais sadios.

Exemplos de vírus classificados como Categoria A:

  • Febre hemorrágica do Congo-Crimeia
  • Dengue (apenas culturas)
  • Ebola
  • Flexal
  • Peste bovina (apenas culturas)
  • Peste de pequenos ruminantes (apenas culturas)
  • Doença vesicular suína (apenas culturas)
  • Mycobacterium tuberculosis (apenas culturas)

Materiais Isentos e de Risco Mínimo

Em seguida, estão os materiais biológicos classificados como isentos ou de risco mínimo, esses tipos de material podem ser transportados pelos Correios.

Exemplos de materiais de Risco Mínimo ou Isento:

  • amostras que não contenham substâncias ou agentes infecciosos;
  • que contenham microrganismos que não são patogênicos para seres humanos ou para animais;
  • aqueles em que todos os agentes patogênicos presentes estejam neutralizados/esterilizados ou inativados de tal forma que não representam risco à saúde;
  • materiais para análise de alimentos e de água, que não representem um risco significativo de infecção.

Categoria B

Por fim, as amostras biológicas destinadas ao diagnóstico clínico enquadradas na categoria B – UN 3373. Esse material pode ser transportado pelos correios entretanto é necessário seguir a Instrução de Embalagem 650. Contudo, geralmente, essa condução é realizada por transportadoras especializadas por ser considerado mais seguro.

A categoria B é definida como um material biológico infeccioso ou potencialmente infeccioso que não se enquadra nos critérios de inclusão na categoria A. De acordo com a Anvisa, são amostras para diagnósticos clínicos que se tem comprovação ou suspeita que possuam agentes infecciosos causadores de doenças em seres humanos. Por exemplo, amostras de pacientes com suspeita de estarem infectados com microrganismos patogênicos ou amostras comprovadamente positivas/reativas.

Envio de Material Biológico por Pessoa Física

Em geral, pessoas físicas, sem contrato específico com os Correios, não consegue transportar material biológico. Eventualmente, algumas agências até aceitam, porém a pessoa poderá ter problemas durante as postagens e não conseguir enviar o material.

Vantagens de Usar os Correios

Antes de mais nada é importante ressaltarmos que existem mais desvantagens do que vantagens no uso dos Correios para o transporte biológico. Ainda assim, existem duas vantagens:

Preço

A princípio, dificilmente uma transportadora especializada, com diversos protocolos de segurança específicos para o transporte de amostras biológicas, irá bater o preço dos Correios.

Além disso, o serviço dos Correios, por ser uma empresa do governo e não ser especializada nesse tipo de transporte, não recebe investimento nessa categoria de logística. Logo, temos como resultado a diminuição do cumprimento das normas e leis de segurança e a baixa qualidade do serviço oferecido ao consumidor. Opera muitas vezes no prejuízo, o que não é sustentável.

Capilaridade

A capilaridade dos Correios é muito grande. Ele atende todo o território nacional, desde as micro cidades até as grandes metrópoles. Em contrapartida, existem muitas empresas de transporte de material biológico por todo o país atingindo boa parte do território nacional, inclusive nas cidades do interior.

Desvantagens

Em primeiro lugar, precisamos deixar bem claro que existem diversos problemas e questionamentos feitos sobre o transporte de material biológicos pelos Correios. Dessa forma, hoje, é considerado informalmente pelo mercado como algo pouco indicado. A utilização desse serviço remete a um foco em custo que não faz jus a importância e risco do transporte de material biológico.

Muitas vezes, querer economizar com determinados serviços, principalmente pelo fato da logística representar boa parte da fase pré-analítica, pode gerar maiores problemas no futuro.

Mudanças Constantes

Os Correios passam por diversas mudanças ao longo do tempo, geralmente de um dia para o outro. A partir de decretos internos, sem avisos prévios, as regras e protocolos mudam, sem tempo para adaptação.

Greves

Os Correios paralisam parcialmente seus serviços, por motivo de greve dos funcionários, pelo menos uma vez por ano. Por exemplo, no período de 2007 a 2013 os correios tiveram 10 paralisações por greve, segundo levantamento feito pelo InfoMoney. Esse tipo de suspensão gera enorme transtorno para os clientes.

Falta de Padronização

Constantemente, clínicas de análise de amostras biológicas recorrem a empresas especializadas neste modelo de transporte, como a LogLife. Seus clientes são indicados a postar determinado material biológico nos Correios, no entanto, nenhuma agência da cidade em questão aceita a postagem do material.

Portanto, é extremamente arriscado que o seu cliente seja indicado a postar material biológico nos Correios pois, ao chegar lá, existe grande possibilidade da agência não aceitar a postagem.

Basta ver o site Reclame Aqui, onde é possível constatar este tipo de problema relatado.

Cuidado com as Caixas

Os Correios não são especializados em transporte de material frágil. Eles possuem tradição no transporte de cartas e documentos. Portanto, não há como comparar o cuidado de uma empresa especializada no transporte de material biológico e dos Correios.

O transporte de material biológico exige muitos cuidados e protocolos a serem seguidos afim de preservar a integridade das amostras. Portanto, a falta do cumprimento das normas e leis pode gerar diversos problemas pré-analíticos no material.

Extravio

Durante o período de experiência junto aos nossos clientes que anteriormente haviam trabalhado com os correios, constatamos que a realidade do extravio está bem acima da média em relação as transportadoras privadas. A perda e/ou extravio do material está entre as piores situações para uma transportadora.

Isto gera diversos e graves problemas, pois os materiais podem ser únicos e insubstituíveis. Além de gerar custos e um retrabalho para que a coleta seja feita novamente, no caso dos materiais que podem ser retirados novamente.

Atrasos e Falta de Previsibilidade

Dificilmente você terá uma acurácia de Acordo de Nível de Serviço(SLA, sigla em inglês) de 9% ou mais nos Correios. Muitas vezes o serviço flui bem, mas pelo menos alguns dias do mês o material não será entregue no prazo e nada poderá ser feito, pois é uma empresa muito grande, burocrata, cujo atendimento é limitado.

Conclusão

Assim sendo, fica claro que os Correios, por mais que tenham diversas vantagens e importância histórica para o país, não são indicados para os casos de transporte de material biológico.

Uma coisa é a liberação legal, a outra é a indicação técnica, visando a qualidade pré analítica dos materiais.

Enfim, nossa sugestão é que sempre busque uma empresa especializada no transporte de material biológico.

COMPARTILHAR


Inscreva-se em nossa News Letter

E fique por dentro das novidades da LogLife

Precisa de ajuda? Converse conosco