Blog

Fique por dentro das notícias e novidades da LogLife.

Tipos de Embalagens no Transporte de Material Biológico

Tipos de Embalagens no Transporte de Material Biológico

Hoje vou falar sobre os tipos de embalagens de transporte para material biológico.

Existem três tipos de embalagens principais de transporte de material biológico

Embalagem Primária:

O que é: É o recipiente onde o material biológico é armazenado após a coleta.

Objetivo: Proteção primária do material.

Exemplos: Tubos, ependorfs, etc.

Responsabilidade: É sempre de responsabilidade do tomador do serviço, sendo geralmente fornecido pelo remetente do material.

Obrigatoriedade: Uso obrigatório pela ANVISA.

Na LogLife: Não fornecemos a embalagem primária.

Embalagem Secundária

O que é: É o recipiente onde a embalagem primária é alocada.

Objetivo: Garantir o não extravasamento do material biológico em caso de rompimento ou abertura da embalagem primária. 

Exemplos:

Existem dois principais tipos:

Cânister: pote rígido. Em geral, usado para material sólidos. 

Vantagem: Maior proteção física da embalagem primária e do material biológico.

Desvantagem: Pouca capacidade de armazenamento. Pouco pratico para quantidades maiores de embalagem primária.

Embalagem Plástica: Em geral, usado para material líquido.

Vantagem: Maior capacidade de armazenamento. Indicado para grandes quantidades de tubos e embalagens primárias.

Desvantagem: Menor proteção física da embalagem primária e do material biológico.

Responsabilidade: Pode ser fornecida tanto pelo contratante, quanto pela transportadora., dependendo da negociação comercial.

Na LogLife: Possuímos a opção de transporte com embalagem secundária própria da LogLife.

Obrigatoriedade: Uso obrigatório pela ANVISA.

Embalagem Terciária

O que é: É o recipiente externo, onde as embalagens primária e secundária são alocadas. 

Objetivo: Garantir a proteção do material, bem como identificar o tipo de material transportado (UN3373, Risco Mínimo, etc).

Exemplos:

Existem dois principais tipos:

Embalagem Terciária Rodoviária:  Muito usada no transporte municipal de cargas biológicas. 

É também conhecida como Caixa Térmica.

Vantagem: Possui a função de manutenção da temperatura, não sendo necessário o uso de isopor.  Pode ser utilizada varias vezes.

Desvantagem: Inapropriada para o embarque aéreo de cargas biológicas.

Embalagem Terciária Aérea: Deve seguir a Instruction Packing 650, da IATA. Deve conter camada tríplice de proteção e ter passado por teste de pressão e queda.

Vantagem: Baixo peso e possibilidade de embarque aéreo.

Desvantagem: É descartável e querer o uso complementar do isopor para manutenção da temperatura.

Responsabilidade: Pode ser fornecida tanto pelo contratante, quanto pela transportadora., dependendo da negociação comercial.

Na LogLife: Possuímos modelos próprios de Embalagem Terciária rodoviária e aérea, ambas em conformidade com os padrões da ANVISA.

Obrigatoriedade: Uso obrigatório pela ANVISA.

Existem ainda embalagens complementares e extremamente importantes para o transporte seguro de material biológico.

São elas:

Caixa de Isopor

O que é: Embalagem para conservação de temperatura do material.

Objetivo: Retardar a troca de calor com o ambiente.

Exemplos: Caixas de isopor de 3L, 8L, 12L, 20L, 27L.

Responsabilidade: Pode ser de responsabilidade do tomador ou da transportadora.

Obrigatoriedade: Uso obrigatório pela ANVISA quando o material for refrigerado ou congelado e não for utilizada caixa termiônica rígida.

Na LogLife: Possuímos variados modelos de caixa de isopor, caso o cliente precise.

Material Absorvente:

O que é: É uma almofada para absorção de líquidos. Deve ser utilizada entre a embalagem primária e a secundária.

Objetivo: evitar o extravasamento de amostras líquidas em caso de rompimento da embalagem primária.

Exemplos: Mantas ou almofadas absorventes.

Responsabilidade: Pode ser de responsabilidade do tomador ou da transportadora.

Obrigatoriedade: Uso obrigatório pela ANVISA para o transporte de material biológico líquido.

Na LogLife: Possuímos um modelo próprio de material absorvente, caso o cliente precise.

Lacre de Segurança:

O que é: Lacre numérico, inviolável, afixado na embalagem secundária.

Objetivo: Garantir que a embalagem secundária não foi violada e o conteúdo não foi manuseado durante o transporte.

Exemplos: Lacres numéricos utilizados para proteção de bagagens de passageiros.

Responsabilidade: Pode ser de responsabilidade do tomador ou da transportadora.

Obrigatoriedade: Não é de uso obrigatório pela ANVISA para o transporte de material biológico líquido. 

Na LogLife: Possuímos um modelo próprio de lacre de segurança, caso o cliente precise. 

Sugerimos ainda que a numeração seja registrada na Declaração de Conteúdo.

Espero que tenha sido útil.

COMPARTILHAR


Posts Relacionados

Mude para a LogLife

Fale com um especialista

Inscreva-se em nossa News Letter

E fique por dentro das novidades da LogLife

Precisa de ajuda? Converse conosco